Condutor que chocou contra procissão vai hoje a tribunal

O condutor que chocou contra uma procissão religiosa em Amarante, na sexta-feira à noite, vai ser hoje presente ao tribunal de turno, disse à agência Lusa fonte do Comando-Geral da GNR.

Do acidente, resultaram três mortos, oito feridos graves e quatro ligeiros, segundo a mesma fonte, contactada pela Lusa hoje de manhã. Trata-se de um homem residente em Vila Chã do Marão, a localidade onde ocorreu o acidente, "aparentemente devido a uma manobra perigosa, que fez com que perdesse o controlo do veículo", acrescentou a fonte. O caso está a ser investigado e a informação já recolhida pelas autoridades encontra-se em segredo de justiça, pelo que a Guarda não adianta pormenores, limitando-se a confirmar que o condutor foi submetido ao controlo de alcoolemia, tendo o resultado sido negativo.

O despiste ter-se-á devido a uma condução menos cautelosa, face às condições da via - relativamente estreita, dentro de uma aldeia, com casas de ambos os lados.De acordo com a GNR, as procissões em vias de trânsito têm de estar autorizadas e respeitar regras de segurança específicas, mas dentro das localidades, como foi o caso, devem ser observadas as normas básicas de circulação de peões e viaturas. "As pessoas devem observar as regras gerais de segurança. De certeza que esta procissão foi muito publicitada e toda gente na localidade sabia dela", indicou a fonte.

As vítimas foram assistidas no local e transportadas para os hospitais da região. No Hospital de São João, no Porto, deram entrada duas mulheres, uma delas com vários traumatismos, num estado considerado delicado. A outra apresenta um traumatismo na face e encontra-se livre de perigo.

Ler mais

Exclusivos