Condutor ficou sujeito a Termo de Identidade e Residência

O condutor do carro que se descontrolou contra uma procissão na sexta-feira à noite, em Amarante, foi constituído arguido e o processo baixou a inquérito, disse hoje à agência Lusa fonte do Comando-Geral da GNR.

A fonte precisou que, ao contrário da informação anteriormente avançada pelo Comando, não houve necessidade de presença em tribunal. O condutor foi detido e, feitos os contactos com o procurador competente, foi-lhe determinado termo de identidade e residência como medida de coação, de acordo com a mesma fonte.

Foi igualmente ordenado que o processo passasse a inquérito. "Temos a nossa equipa de investigação de acidentes de viação a recolher todas as provas", acrescentou.

O acidente, provocado pelo embate de um veículo descontrolado, durante uma procissão religiosa, causou a morte a três pessoas. Oito ficaram gravemente feridas e quatro sem gravidade.

Ler mais

Exclusivos