Independente Orlando Cruz anuncia candidatura no Porto

O independente Orlando Cruz anunciou hoje a sua candidatura à Câmara do Porto pelo Movimento Povo à Rasca nas autárquicas de 2013, garantido que vai "surpreender", uma vez que é o candidato das pessoas e não dos números.

O empresário Orlando Cruz apresentou hoje, em conferência de imprensa, a candidatura independente à Câmara do Porto nas próximas autárquicas, justificando, em declarações à agência Lusa, a decisão de concorrer porque o "povo já não acredita nos três maiores partidos e, por isso, os independentes não podem continuar a ver as pessoas desempregadas, sem condições de vida".

"Serei um candidato surpresa, porque eu não sou candidato de números, sou um candidato de pessoas", garantiu o candidato pelo Movimento Povo à Rasca.

Questionado sobre se irá conseguir as assinaturas necessárias para formalizar a candidatura, Orlando Cruz afirmou que sim, recordando que quando iniciou o processo para concorrer à Presidência da República em 2011 -- que acabou por não concluir -- conseguiu recolher 7.500 assinaturas.

"Conseguirei arranjar as quatro mil assinaturas para as autárquicas. É muito fácil. Começo no sábado e no domingo no bairro da pasteleira a recolher as assinaturas", disse.

Sobre os fundos para fazer a campanha, o empresário garantiu que "não vai gastar dinheiro porque este faz falta para alimentar pessoas", considerando um escândalo os valores despendidos com as corridas eleitorais.

"Não quer outdoors, não quero cartazes. Isto é brincar com que pretende canalizar as verbas para obras sociais.

O independente, de 60 anos, natural de Leça do Balio, Matosinhos, considera-se "um bom político" e diz ser "o Lula da Silva de Portugal", intitulando-se "Orlando Cruz, el comandante".

Orlando Cruz deixou ainda críticas à gestão autárquica de Rui Rio, considerando que o Porto "era uma cidade ecológica" e com a entrada do atual presidente da câmara "passou a ser uma cidade de betão".

"A Câmara do Porto foi gerida com mão de ferro contra os mais pobres", criticou ainda.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG