Homens e mulheres têm mesma exposição ao risco - Comandante do CDOS

O comandante de Permanência às Operações do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro, José Bismarck, disse hoje à Lusa que não existe qualquer diferenciação de género na hora de escolher os elementos para combater um incêndio.

"A formação e o equipamento são iguais para todos e, portanto, a exposição ao risco é exatamente a mesma", adiantou José Bismarck, que não estranhou que houvesse uma bombeira voluntária a combater o incêndio em Gondomar e que acabou por morrer carbonizada.

A bombeira que pertencia à corporação de Lourosa, Santa Maria da Feira, estava a combater um incêndio em Monte Meda, freguesia de Lomba, concelho de Gondomar, tendo as chamas provocado ainda um ferido grave e a evacuação de outros quatro.

Segundo José Bismarck, a equipa estava a combater o incêndio, quando se verificou uma mudança de vento e, consequentemente, de direção das chamas. "Eles foram apanhados numa situação limite, o que resultou num acidente por queimaduras", adiantou o mesmo responsável.

Fonte do INEM diz ter recebido às 15:42 a indicação de que haveria bombeiros rodeados pelas chamas num incêndio na freguesia da Lomba, Gondomar, tendo enviado para o local o Helicóptero 2, do Porto, a VMER de Gaia e uma equipa de psicólogos.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Duarte Caldeira, explicou à Lusa que "esta é uma circunstância que decorre de se estar numa ação direta de combate em que há uma rotação súbita de vento".

Esta é a segunda vítima mortal resultante do combate às chamas registada apenas nesta semana, tendo segunda feira morrido um bombeiro da corporação de Alcobaça na sequência do despiste de um veículo tanque onde seguia, durante um incêndio em São Pedro do Sul.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG