Ferido no incêndio do porto de Leixões está "estável"

O homem que sofreu queimaduras de segundo e terceiros graus no incêndio que, na quinta-feira, deflagrou no porto de Leixões, em Matosinhos, "encontra-se estável e tem prognóstico favorável", disse hoje à Lusa fonte hospitalar.

Segundo fonte do Hospital de S. João, o ferido "foi operado" na quinta-feira e "encontra-se estável".

O incêndio de grandes proporções que deflagrou no porto de Leixões provocou a morte a um homem e ferimentos a outras duas pessoas.

O outro ferido que foi encaminhado para o S. João teve alta médica na quinta-feira, bem como o ferido ligeiro que seguiu para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos.

O diretor de Obras e Equipamentos da Administração dos Portos do Douro e Leixões, João Braga da Cruz, confirmou, na quinta-feira, que a queda de uma peça na desmontagem do guindaste Titan originou as explosões no porto de Leixões e um incêndio.

A queda da peça do guindaste terá originado a rotura de um 'pipeline' de gás (canalização para transporte à distância de gás), provocando de imediato várias explosões e um posterior incêndio.

No combate ao incêndio estiveram envolvidos 79 elementos das forças de socorro e 25 veículos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG