Executivo discorda da interrupção das obras no Lagarteiro

A Câmara Municipal do Porto aprovou hoje, por unanimidade, uma proposta do PS para que a autarquia manifeste junto do Governo o seu "desacordo com a interrupção do Projeto Bairros Críticos no Bairro do Lagarteiro".

A proposta recomenda ainda à Câmara que reclame junto do Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) a "reprogramação das verbas em falta, de modo a que possam ser concluídas as obras nos blocos 9 a 13".

A proposta socialista está em sintonia com a posição que foi tomada na Assembleia Municipal, na segunda-feira à noite, pelo partido, que considerou "surpreendente e inaceitável" a decisão do IHRU, que torna inviável a recuperação total do bairro do Lagarteiro e exigiu "financiamento das obras em falta".

A 09 de maio, o presidente daquele instituto revelou à Lusa não ter dinheiro para "prosseguir com o financiamento das obras de requalificação" do bairro do Lagarteiro, nem para garantir que serão retomadas no futuro.

Oito dos 13 blocos que fazem parte deste bairro crítico localizado na zona oriental do Porto, encontram-se recuperados, o que levou o PS a dizer que, "entre 2008 e 2011, o bairro mudou para melhor".

Além dos blocos recuperados, "foram construídos dois novos arruamentos, arranjado todo o espaço público, recuperado o polidesportivo e o espaço público da escola e construído um pavilhão multiusos", elencou o partido, pela voz do vereador Correia Fernandes.

"As dificuldades orçamentais podem justificar a renegociação do calendário e um novo faseamento do apoio, mas não podem implicar a quebra de compromissos, que colocam uma parte significativa dos moradores em desigualdade perante os outros", referiu o PS, na proposta que hoje apresentou, na reunião pública do executivo municipal. O presidente da Câmara, Rui Rio, disse estar "integralmente de acordo" com a proposta socialista.

Na assembleia municipal, Rio já havia afirmado também que a solução para o problema que o IRHU criou, por alegadas carências financeiras, pode passar pela reprogramação do projeto previsto para o Lagarteiro, alargando o prazo para a sua concretização.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG