Empresa de Manuel Godinho vence leilão de cabos

Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) leiloaram hoje 200 quilómetros de cabos eléctricos sem utilidade, negócio que deverá render mais de 170 mil euros e assumido por uma empresa em que o sócio maioritário é o sucateiro Manuel Godinho.

Segundo explicou à Agência Lusa fonte dos ENVC, trata-se de cabos eléctricos sobrantes de várias construções, nos últimos dez anos, e outros que entretanto deixaram de estar homologados.

A empresa decidiu leiloar este material, envolvendo várias dezenas de tipologias de cabos diferentes, sobretudo em cobre, num peso total avaliado de 71 toneladas e extensão a rondar os 200 quilómetros.

"Maioritariamente será cabo para derreter e aproveitar o cobre", explicou a mesma fonte.

Ao concurso, que terminou quinta-feira, apresentaram-se duas empresas, das 22 convidadas pelos ENVC, comprometendo-se a pagar entre 1.830 e 2.280 euros por tonelada.

No leilão realizado hoje na empresa, ao fim de quatro lances, a Raplus Soluções Ambientais, com sede no Porto e representada pelo administrador, Rui Martelo, melhorou a proposta inicial chegando aos 2.420 euros por cada tonelada.

A empresa em que Manuel Godinho é sócio maioritário elevou para 171.820 euros a proposta total, contra a de uma empresa do Fundão, de 170.400 euros.

Contudo, caberá agora à administração da empresa validar esta proposta e decidir aceitar a venda por este montante.

Este é já o segundo leilão realizado pelos estaleiros no espaço de um mês, sendo que o primeiro permitiu a venda, por valores não conhecidos, de aço e sucata.

Recorde-se que os ENVC aguardam desde setembro pela apresentação de um plano de viabilidade, numa altura em apresentam um passivo acumulado de 240 milhões de euros e depois de fecharem o ano de 2010 com um prejuízo de mais de 40 milhões de euros.

"São simples actos de gestão", garantiu a administração da empresa, a propósito dos leilões realizados.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG