Direito de resposta

(art.ºs 24º e 25º da Lei de Imprensa, aprovada pela Lei n.º 2/99, de 13 de Janeiro, com as alterações introduzidas lepa Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho)

Os factos constantes da notícia divulgada não correspondem à verdade e carecem fundamentação, apresentando intoleráveis distorções, reais e legais, misturando entidades e denominação com o intuito de prejudicar a imagem e o bom nome do visado, bem como a posição comercial das suas empresas.

As unidades de impressão da "Astrocolor S.A." encerraram no âmbito de processo de insolvência, após largo período de desentendimento entre os seus accionistas.

Estas unidades eram, de facto, lucrativas, mas a crise generalizada da imprensa escrita - o grosso dos seus clientes, muitos deles insolventes - levou a que estes, a partir sobretudo de 2009, não liquidassem as nossas facturas pelos serviços de impressão prestados.

É, pois, calunioso afirmar que as unidades encerraram por ter sido desviado dinheiro para outras empresas do grupo quando, ao invés, fui eu e estas empresas que investimos nos últimos tempos mais de um milhão e meio de euros nas unidades, investimento que se revelou insuficiente face ao volume de facturas não cobradas, sendo público que o volume de facturação da "Astrocolor" foi sempre superior ao dos seus débitos, encerrando por falta de liquidez.

É também falsa a existência de salários em atraso, uma vez que todos os trabalhadores receberam até ao último dia de trabalho e informados das razões do encerramento.

Os tempos são hoje muito difíceis para as empresas e, como é público, os administradores correm mais riscos do que nunca, já que respondem pessoalmente pelas suas opções de gestão.

É com muita tristeza e preocupação que assistimos ao encerramento de milhares de empresas, que sempre foram sólidas, ditados por uma conjuntura que os empresários na maioria dos casos não serão os culpados. Neste, seguramente que não.

A todos os jornais que difundiram a notícia será instaurado o competente procedimento criminal pela inqualificável difamação a que se prestaram.

N.d.R: O DN esclarece os equívocos do presente direito de resposta, estranhando a reacção a uma notícia do DN/Lusa que não se refere à empresa Astrocolor, SA, e muito menos afirma que qualquer unidade de impressão pertença do Sr. Eduardo Costa tenha sido encerrada por ter sido desviado dinheiro para outras empresas do Grupo, como é pelo mesmo dito. Estas palavras são do próprio e não deste Jornal.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.