Carros podem andar sem pagar em autoestrada portajada

A variante sul de Bragança da Autoestrada Transmontana tem portagens, mas os automobilistas podem circular nos nove quilómetros deste troço sem pagar e sem cometer qualquer ilegalidade.

O troço portajado tem apenas um pórtico de cobrança no nó das Cantarias por onde não têm de passar as viaturas que entrem e saiam da autoestrada nesta zona e que pode ser contornado por quem siga noutros sentidos.

Na prática, Bragança será o último distrito do país a ter autoestrada e imediatamente portajada, mas os automobilistas podem estrear a nova via e viajar entre a cidade e a fronteira com Espanha sem pagar os preços anunciados nos quadros informativos, entre 65 cêntimos e 1,65 euros.

A Agência Lusa constatou no local que quem se desloca do litoral para a fronteira, ao chegar ao nó das Cantarias, início da autoestrada, tem uma saída para o actual IP4 que dá acesso à zona industrial, onde se pode entrar na autoestrada, na rotunda do Nerba, e seguir viagem sem passar pelo pórtico.

Os automobilistas que se deslocam da fronteira (Quintanilha) em direcção ao litoral têm a mesma alternativa de contornar o pórtico.

Quem estiver na cidade e entrar na autoestrada na rotunda do Nerba ou em Samil, pode viajar até à fronteira e circular por todo o troço portajado sem pagar, e vice-versa, porque no último nó, o das Quintas da Seara, não existe pórtico de cobrança.

Os automobilistas têm ainda de esperar mais algum tempo para experimentarem os primeiros quilómetros de autoestrada do Distrito de Bragança.

O diretor geral da concessionária, a Autoestradas XXI, Rodrigues de Castro, disse à Lusa que o troço abriria ao trânsito hoje ao meio-dia, o que não aconteceu.

A concessionária está à espera da autorização do INIR (Instituto Nacional das Infraestruturas Rodoviárias), que tem de ser comunicado primeiro à Estradas de Portugal (EP), que por sua vez dará a luz verde para a abertura.

Fonte da EP e do INIR adiantou à Lusa que a autorização "está pendente de pequenas situações que a concessionaria tem de corrigir", sem especificar quais.

A fonte da EP garantiu, no entanto, "não ter dúvidas de que a autoestrada abrirá ainda hoje".

Os automobilistas têm ainda como alternativa ao troço portajado a variante norte da cidade, que corresponde a 17 quilómetros que ficarão do antigo IP4, sem custos para os utilizadores.

Também hoje abre ao trânsito o nó da Amendoeira, em Macedo de Cavaleiros, que faz a intercepção da autoestrada e do IP2, outra das novas estradas em construção no Nordeste Transmontano para ligar ao sul do distrito e do país.

A Autoestrada Transmontana tem 130 quilómetros, entre Vila Real e Bragança, mas a denominação que os automobilistas vão encontrar nas placas informativas é "A4".

A via corresponde ao prolongamento da autoestrada que já liga o Porto a Amarante e que vai chegar até à fronteira com Espanha, em Quintanilha (Bragança).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG