Assembleia dos bombeiros terminou sem solução para direção

A quarta assembleia-geral dos bombeiros de Monção voltou a terminar sem qualquer interessado em assumir os destinos da corporação face à crise diretiva que se instalou na instituição em fevereiro.

"Não apareceu nenhuma solução, vamos esperar até ao final do mês. Mas é muito triste que numa altura em que os bombeiros tanto precisam, dos mais de 1 500 sócios pagantes que temos apenas tivessem aparecido uns 40", disse hoje à Lusa o presidente da assembleia-geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção.

A 21 de fevereiro, a direção apresentou a demissão, um mês depois de vencer as eleições, alegando a situação financeira herdada da gestão anterior e que afirmaram desconhecer. Segundo Emílio Fontainhas, apesar do vazio diretivo entretanto criado, já foi possível reduzir o passivo da corporação em 50 mil euros.

"Era de 280 mil euros quando estes órgãos tomaram posse e agora é de 230 mil. Isso foi possível com muito empenho de todos, nomeadamente em peditórios e nas cobranças entretanto realizadas", acrescentou.

Uma assembleia-geral eletiva chegou a ser marcada para 20 de março, mas acabou por não se concretizar devido à falta de listas candidatas, o mesmo acontecendo com a segunda, agendada 4 de maio.

A 26 de abril a direção, então demissionária, avançou para a renúncia efetiva ao cargo, o que obrigou à nomeação de uma comissão de gestão, que assegurará o funcionamento da corporação até final deste mês.

"Entretanto vamos ver se aparece alguém. Se isso não acontecer até final de maio, e porque a corporação não pode continuar a andar ao Deus dará, eu próprio me encarregarei de convidar alguns sócios para formarem uma lista para a direção já em junho", garantiu o presidente da assembleia-geral, excluindo, no entanto, qualquer intenção de integrar essa lista.

Apesar do passivo total de 230 mil euros, os bombeiros de Monção afirmam ser credores em 100 mil euros do Ministério da Saúde, relativos a transportes e serviços efetuados ainda em 2011.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG