Arguido diz que só viu Rui Pedro durante 5 minutos

O tribunal de Lousada visualizou hoje um vídeo de 2004 com a reconstituição dos factos do dia do desaparecimento de Rui Pedro no qual o homem acusado de rapto garante não ter estado com o menor na tarde do desaparecimento.

Nesse vídeo com cerca de uma hora de duração, Afonso Dias, acusado de um crime de rapto qualificado, insiste ao inspector José Leal que no dia 04 de Março de 1998 esteve com Rui Pedro, durante cerca de cinco minutos, após a hora de almoço, junto à escola da criança, convidando o menor para ir às fisgas.

"Ele [Rui Pedro] veio ter comigo de bicicleta, encostou-se ao meu carro e falámos", contou nessa reconstituição.

Segundo o arguido, o menor, "que estava com pressa", recusou o convite, alegando que nessa tarde tinha explicações.

"E foi-se embora. Eu ainda o vi pelo espelho retrovisor do carro", disse Afonso Dias, acrescentando que arrancou de imediato no seu veículo em direcção a Paços de Ferreira.

Nesta nona sessão do julgamento foi a primeira vez que se conheceu, em audiência, a versão dos factos de Afonso Dias, porque até hoje tem-se remetido ao silêncio, seguindo uma indicação do seu advogado.

No vídeo da reconstituição, o arguido explica depois o que alega ter feito naquela tarde, procurando contrariar a tese do Ministério Público, segundo a qual Afonso Dias, entre as 14:00 e as 14:30, levou de carro o menor Rui Pedro para um encontro com uma prostituta em Lustosa, após o qual nunca mais foi vista a criança.

Afonso Dias diz que esteve parado mais de uma hora junto a uma farmácia de Paços de Ferreira, regressando à sua casa em Lousada para tomar banho e regressando depois a Freamunde para se encontrar com a sua namorada.

Só à noite, quando regressou a sua casa, é que, alega, soube do desaparecimento de Rui Pedro, porque a GNR estava à sua espera.

Na sessão de hoje, o inspector-chefe da PJ, Henrique Noronha, disse não perceber o que terá feito o arguido naquela tarde, porque não foi encontrada qualquer pessoa que tenha estado ou falado com Afonso Dias naquele período do dia.

No entanto, no final da sessão, o advogado de defesa disse aos jornalistas não ter visto que, da visualização do vídeo, "resultasse qualquer prejuízo para o arguido", considerando até que "foi relevante para a descoberta da verdade".

"A versão inicial do arguido está espelhada claramente na reconstituição", afirmou Paulo Gomes a propósito das dúvidas da PJ quanto ao que terá feito Afonso Dias na tarde do desaparecimento de Rui Pedro.

Na sessão de quarta-feira o tribunal vai realizar uma reconstituição dos factos, deslocando-se à antiga escola preparatória de Lousada, local onde Rui Pedro, segundo várias testemunhas, incluindo ex-colegas de escola do menor, terá entrado no carro de Afonso Dias, nunca mais sendo visto.

A reconstituição incluirá também uma deslocação a Lustosa, a cerca de nove quilómetros de Lousada, onde o Ministério Público alega que terá havido o encontro de uma prostituta com Rui Pedro, tendo o menor sido levado pelo arguido.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG