AR recomenda eletrificação entre Caíde-Marco de Canaveses

A Assembleia da República aprovou uma nova resolução que recomenda ao Governo a eletrificação do troço ferroviário da linha do Douro entre Caíde de Rei (Lousada) e o Marco de Canaveses.

Nesta resolução, aprovada em 08 de junho e hoje publicada em Diário da República, a Assembleia da República pretende que o Governo garanta a continuidade da integração do troço Caíde-Marco de Canaveses na rede suburbana do Porto.

Em 20 de abril, a Assembleia da República tinha aprovado uma resolução semelhante, recomendando ao Governo a manutenção daquele troço na linha do Douro na rede suburbana do Porto e pedindo que fosse "retomado o projeto de eletrificação".

De acordo com a resolução, a Assembleia da República recomenda também a eletrificação daquele troço, "incluindo todas as obras e intervenções necessárias para alcançar esse objetivo, mormente a implementação da sinalização eletrónica e de uma rede de telecomunicações na linha do Douro".

O Governo deve ainda garantir "a melhoria da oferta e da qualidade do serviço público prestado ao logo deste troço da linha ferroviária do Douro" para que "potencie a sua maior utilização pelas populações".

Em abril, centenas de populares concentraram-se na estação ferroviária do Marco de Canaveses para contestar a eventual supressão da ligação a Caíde de Rei, tendo chegado a impedir a saída de três comboios daquela estação.

Dias depois, a CP e os utentes da Linha do Douro chegaram a um acordo sobre a manutenção da maioria das ligações a Caíde, em comboio urbano.

Na reunião foi discutido um documento de trabalho apresentado pela CP aos utentes, no qual se apontava a necessidade de, face aos prejuízos acumulados, reduzir custos nas ligações entre as estações do Marco de Canaveses e Caíde de Rei.

Nesse mesmo dia, o presidente da Câmara do Marco de Canaveses, Manuel Moreira, salientou, contudo, que o acordo alcançado só vigorará se o Governo avançar, a curto prazo, com a eletrificação da linha até Caíde.

"Esse ajustamento só é aceite pela Câmara e pela comissão de utentes se houver um compromisso do Governo de eletrificação da linha a curto prazo", afirmou Manuel Moreira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG