18 anos de prisão para homem que matou ex-freira

O homem que, em 2008, matou uma antiga freira, atirando o cadáver para um poço foi esta manhã condenado no Tribunal de Gaia a uma pena de 18 anos de prisão.

Esta é a segunda vez que o tribunal de Gaia julga o caso. Em 2010, o arguido Augusto Paulo Evaristo, de 41 anos, foi condenado, apenas pelo crime de profanação do cadáver de Conceição Pessoa, a oito meses de prisão, num veredicto que a Relação do Porto anulou por considerar que as escutas do processo tinham sido indevidamente ignoradas.

Agora o arguido foi igualmente condenado por roubo qualificado na forma tentada e homicídio qualificado, tendo também de pagar 70 mil euros de indemnização à irmã da vítima. Foi apenas absolvido da alegada prática de um crime de dano qualificado.

Maria da Conceição Pessoa, de 66 anos, foi vista pela última vez a 6 de novembro de 2008 e a sua morte terá ocorrido no interior da sua moradia, em Sendim, Gaia, tendo o cadáver sido levado depois no carro da vítima até um campo agrícola onde foi lançado a um poço, a cerca de três quilómetros de distância da casa. Horas depois, a viatura aparecia incendiada junto à Barragem de Crestuma.

Durante dias, ninguém soube do paradeiro da antiga freira e pessoa muito querida na freguesia por ali ter exercido durante muitos anos a profissão de professora primária. O facto de Maria da Conceição já ter manifestado intenção de vender a casa e ir viver para Fátima, para junto do santuário, fez com que o seu desaparecimento não fosse de imediato comunicado às autoridades. Entretanto, o arguido que, segundo a acusação, pretendia apoderar-se do imóvel foi utilizando cadernetas bancárias e cheques da vítima.


Outras Notícias

Outros conteúdos GMG