Não são só os novos. Enfermeiros de topo também já emigram

Desde 2009 quase 13 mil enfermeiros pediram à Ordem declaração para sair do país. Inglaterra continua a ser o local preferido

Entre janeiro e maio deste ano, 841 enfermeiros pediram à Ordem a declaração para poderem exercer no estrangeiro. Desde 2009 que 12 853 enfermeiros abandonaram o país para procurar lá fora a oportunidade que não encontram dentro de casa. E não são apenas os que terminam a licenciatura. Está a crescer o número de enfermeiros com 15 e 20 anos de experiência, até com cargos de gestão, que estão a trocar Portugal pelo estrangeiro, onde recebem três vezes mais. Inglaterra continua a ser o destino preferido e também o país que aposta em campanhas de contratação direta com vindas a Portugal para levar enfermeiros.

Ainda são os mais novos os que mais deixam o país à procura de uma oportunidade que não esperam encontrar em Portugal. Mas não são os únicos. Bruno Noronha, vice-presidente da Ordem dos Enfermeiros, refere que há cada vez mais enfermeiros experientes, com 15 e 20 anos de profissão, a trocar Portugal por Inglaterra, França, até pela Arábia Saudita.

Para Bruno Noronha, é fácil perceber porque é que mesmo quem tem cargos de gestão, uma família e filhos olha para o estrangeiro como uma oportunidade. Conhece vários colegas nesta situação que foram para Londres, Suíça, para o Brasil. Enfermeiros com anos de profissão à frente de serviços a ganhar perto de mil euros, com 15 colegas a cargo e outros tantos auxiliares. "As saídas dos mais experientes estão a aumentar. Um enfermeiro especialista em Portugal recebe entre 1000 e 1100 líquidos por mês. Em Londres recebe 2800 e na Suíça entre os 2500 e 3000 euros. Quer dizer que recebe 4000 euros brutos. Recebem três vezes mais", diz.

Leia mais pormenores no e-paper do DN ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG