Na saúde "há limites" que não são ultrapassados

A saúde terá uma discriminação positiva na redução da despesa a realizar pelo Governo, afirmou hoje o ministro Paulo Macedo, garantindo que "há limites" que não serão ultrapassados.

Questionado pelos jornalistas sobre de que forma a saúde seria afetada pelo plano de poupanças de quatro mil milhões de euros, o ministro da Saúde declarou que há áreas onde não haverá cortes.

"Pela prioridade que este Governo dá, a saúde continuará a ter uma discriminação positiva", disse Paulo Macedo no final de uma visita à pediatria do Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa.

"A saúde está dentro do contexto do país. De certeza que se o país tiver menos recursos a saúde terá de se adaptar. Mas claramente há limites que não ultrapassamos e isso quer dizer que há áreas onde não iremos cortar nada", acrescentou, lembrando que há outras áreas com várias situações de "desperdício concreto".

Pouca coordenação entre cuidados primários e hospitalares, a área dos dispositivos médicos e horas extraordinárias desnecessárias são alguns dos exemplos que Paulo Macedo aponta como desperdícios na área da saúde.

Para este Dia Mundial do Doente, o ministro salientou a "presença do Serviço Nacional de Saúde, de uma forma eficaz," junto dos portugueses, indicando que continuam a ser prestadas cerca de 40 milhões de consultas anuais, mais de cinco milhões de urgências e de 500 mil cirurgias.

Macedo destacou ainda o que considera ser a "melhoria no acesso a medicamentos", frisando que os portugueses pouparam em 2012 quase 200 milhões de euros em remédios, consumindo mais embalagens.

Segundo o Ministério da Saúde, os gastos com medicamentos suportados pelos utentes e pelo Serviço Nacional de Saúde foram os mais baixos dos últimos cinco anos.

O serviço de pediatria do Hospital São Francisco Xavier foi a escolha de Paulo Macedo para assinalar o Dia Mundial do Doente, onde o governante visitou as crianças internadas, sempre acompanhado por uma equipa de três "Doutores Palhaços" da Operação Nariz Vermelho, que deram uma animação especial àquela ala hospitalar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG