MP investiga mails falsos enviados em nome do Governo

O Ministério Público (MP) abriu hoje inquérito para investigar o caso dos correios eletrónicos, com notícias falsas, emitidos em nome do Governo na segunda-feira, disse à agência Lusa fonte judicial.

A mesma fonte precisou que "a Polícia Judiciária foi chamada pelo Governo" à Secretaria de Estado da Cultura (SEC) e à Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), tendo esta polícia de investigação criminal comunicado a situação posteriormente ao MP, que abriu um processo.

Um endereço eletrónico oficial da SEC foi usado na segunda-feira, para distribuir um comunicado falso a dar conta da alocação de mais verbas para apoios às artes.

Também um endereço oficial da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte foi utilizado para veicular um comunicado falso a dar conta da contratação de 600 enfermeiros.

"A organização do Mayday Lisboa 2013 divulgou ao longo do dia 1 de abril, dia das mentiras, falsas notícias sobre empresas e ministérios que teriam tomado medidas para reduzir a precariedade e reconhecer os devidos direitos aos/às trabalhadores/as", lê-se num comunicado colocado na página da Internet do movimento, intitulado "Mayday mentiu no 01 de abril. Governo mente todo o ano".

Contactada então pela agência Lusa, Sara Simões, da organização Mayday, disse que foi uma ação pensada pelo grupo de Lisboa para apresentar no dia das mentiras, no sentido de confrontar o Governo com "as mentiras que perpetua diariamente", como o desemprego, metas do défice, cortes dos salários e subsídios.

"Queríamos fazer uma brincadeira, mas em tom mais sério. Nós temos preocupações sérias com o estado da economia e do país, nomeadamente ao nível da precariedade e do desemprego", afirmou, adiantando que o objetivo era chamar a atenção e foi conseguido.

Sara Simões recusou tratar-se de um ataque informático e afirmou que não foram cometidas ilegalidades.

"Hoje em dia, se procurar na internet, consegue encontrar forma de fazer tudo sem ultrapassar uma linha que seja incontornável. O Mayday não faz coisas ilegais, não é essa a nossa forma de estar", adiantou.

Na segunda-feira, o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros negou que o Governo estivesse sob ataque informático, esclarecendo que os comunicados falsos, enviados a partir de emails oficiais, tiveram origem na apropriação indevida dos endereços eletrónicos.

Luís Marques Guedes esclareceu ainda que a situação teve origem no recurso a um "fake mail", um "email" falso que permite enviar correios como se estes tivessem origem em endereços válidos.

A ARS-N informou hoje ter aberto um processo de inquérito para apurar responsabilidades no caso do comunicado falso sobre o concurso para os 596 enfermeiros, divulgado na passada segunda-feira.

Hoje, a deputada social-democrata Laura Esperança congratulou o ministro da Saúde, Paulo Macedo, pela contratação destes 596 enfermeiros, dado que constava da mensagem falsa veiculada por correio eletrónico que circulou segunda-feira, dia das mentiras.

A deputada falava durante a audição de Paulo Macedo, na Comissão Parlamentar de Saúde.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG