Ministro extingue comissão de acompanhamento da reforma

Azeredo Lopes extinguiu a comissão de acompanhamento da reforma militar presidida pelo general Carlos Chaves.

O ministro Azeredo Lopes extinguiu a Comissão de Acompanhamento para a Reforma da Defesa Nacional (CARDN) aprovada pelo anterior governo.

O despacho foi publicado esta segunda-feira em Diário da República, com data de 22 de dezembro de 2015 e produz efeitos a partir de amanhã.

A CARDN era presidida pelo major-general Carlos Chaves, que foi o primeiro assessor militar do então primeiro-ministro Pedro Passos Coelho.

A CARDN estrutura foi criada em maio de 2013 para acompanhar e monitorizar o grau de execução da chamada "Reforma 2020", aprovada pelo então ministro da Defesa José Pedro Aguiar-Branco, produzindo relatórios mensais para o governante sobre o evoluir do processo.

"Passados dois anos e meio da criação da CARDN, entende-se que as circunstâncias que motivaram a sua criação, relacionadas com a complexidade associada à vasta alteração legislativa que se encontrava então em curso, já não se verificam, pelo que não se justifica a sua manutenção", escreveu Azeredo Lopes no despacho de extinção.

Exclusivos