Ministra: "Não vai haver falta" de fármacos nos hospitais

A ministra da Saúde, Ana Jorge, assegurou hoje, no Alentejo, que "não vai haver falta" de medicamentos nos hospitais portugueses, apesar da crise financeira que o país atravessa.

"Não vai haver falta de medicamentos para as pessoas que precisam deles e essa é a segurança que temos que dar aos nossos utentes", disse a governante, em declarações à Agência Lusa. A ministra da Saúde falava em Arronches (Portalegre) à margem da inauguração da segunda fase da Unidade de Cuidados Continuados Integrados de Arronches, pertencente à Santa Casa da Misericórdia local. O jornal Diário de Notícias (DN) publicou hoje uma notícia com o título "Hospital de Cascais pede aos familiares dos doentes para comprar na farmácia medicamentos que diz não ter disponível". De acordo com o matutino, os familiares de uma paciente foram obrigados a levar um dos medicamentos que a doente toma habitualmente para as artroses porque o hospital disse que não o tinha na farmácia.

O DN explica ainda que a administração do hospital assume que fez a restrição por critérios clínicos, mas sindicatos e utentes denunciam mais queixas de doentes a quem os remédios também foram pedidos. "É um problema da responsabilidade exclusiva do hospital, como é óbvio. E penso que não terei mais comentários para fazer, são dois casos pontuais aquilo que lá está (notícia) e está explicado pelo hospital que foi abordado e que fez a sua justificação", disse Ana Jorge. Para a titular da pasta da Saúde, esta situação que ocorreu no Hospital de Cascais "não tem a ver" com a crise financeira que o país atravessa e assegurou que os hospitais têm "capacidade de resposta".

"Se isso tivesse a ver com a crise tinha mais a ver com os utentes do que propriamente com os hospitais que obviamente têm toda a capacidade de dar resposta aquilo que para que existem, que é para prestar cuidados de saúde. Portanto, isto não tem nada a ver com a situação que estamos a viver", declarou. A Unidade de Cuidados Integrados de Longa Duração da Santa Casa da Misericórdia de Arronches contou com um investimento de 1,3 milhões de euros, tem capacidade para 29 camas e permitiu a criação de 17 postos de trabalho. Ana Jorge inaugurou também hoje a Unidade de Cuidados Continuados da Misericórdia de Mora, no distrito de Évora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG