Ministério quer professores a dar ideias para mudar os currículos

Equipa de Tiago Brandão Rodrigues lançou inquérito online para docentes avaliarem as orientações curriculares. Objetivo é construir um novo perfil de saída do aluno

Os professores de todo o país vão poder dar a sua opinião e sugestões sobre as metas e programas curriculares que estão a aplicar. Para tal, o Ministério da Educação (ME) lançou um inquérito online a que todos os professores podem aceder.

A tutela garante, em comunicado, que "os resultados deste inquérito serão fundamentais para o debate alargado" com vista a um novo "perfil de saída do aluno após 12 anos de escolaridade". A equipa de Tiago Brandão Rodrigues apela aos professores para que avaliem e reflitam sobre o desenvolvimento dos currículos. Já que "tradicionalmente, os debates e decisões em torno do currículo envolvem especialistas e académicos, mas esquecem o contributo daqueles que, no dia-a-dia, o aplicam e conhecem melhor a sua viabilidade e o quanto os alunos conseguem, de facto, aprender".

O ME pretende ainda com esta iniciativa "avaliar a coerência entre os documentos curriculares das respetivas disciplinas, nomeadamente ao nível das finalidades e dos objetivos definidos". Também quer aferir se as conceções e práticas dos professores estão adequadas às finalidades e objetivos definidos para cada disciplina, analisar o impacto dos documentos curriculares na pática docente e avaliar a eficácia e o impacto dos documentos curriculares e da sua utilização nas escolas e no sucesso escolar dos alunos.

Além disso, o ME lembra que são necessárias mudanças uma vez que coexistem situações díspares como "programas de 1991 em articulação com metas curriculares de 2014", por exemplo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG