Miguel Macedo acusa Governo PS de "leviandade"

O ministro da Administração Interna acusou hoje o anterior governo de ter cometido "uma tripla irresponsabilidade" ao aprovar sistemas remuneratórios para a PSP e GNR com um "brutal acréscimo" para o Estado e criar "expectativas infundadas" nestes profissionais.

"Já não se trata apenas de irresponsabilidade política, financeira e orçamental. É também a irresponsabilidade de um governo que, com o propósito eleitoral, pretendeu jogar com os sentimentos, as expectativas e as motivações dos profissionais da PSP e dos militares da GNR. Algo que é chocante, imoral e inaceitável", disse Miguel Macedo na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

O ministro explicou aos deputados o "quadro legal e factual" que o actual Governo encontrou nos sistemas remuneratórios dos membros das forças de segurança aprovados em Outubro de 2009, considerando que este caso "representa uma tripla irresponsabilidade".

Para Miguel Macedo, é irresponsável por ter aprovado em 2009 um quadro legal para a PSP e GNR que se "traduzia num brutal acréscimo de despesa para o Estado", tendo em conta a situação de crise económica e de "descontrolo sério das finanças públicas".

"Tudo, apenas e só, porque estávamos em vésperas de eleições. Isto já não é apenas eleitoralismo. Isto é leviandade total e completa", sustentou, acusando também a "irresponsabilidade de fazer um simulacro de promessa de neutralidade orçamental para esta decisão".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG