MF Leite acusa PM de mentir sobre negócio da PT

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, acusou hoje o primeiro-ministro, José Sócrates, de mentir ao dizer que desconhece a eventual compra pela Portugal Telecom (PT) de 30 por cento da Media Capital, que controla a TVI.

"Não falou verdade quando disse claramente à comunicação social que não sabia de nada, não é possível não saber de nada um Governo que tem uma golden share (...) Sabe de certeza absoluta e disse que não sabia", afirmou Manuela Ferreira Leite, em entrevista à SIC e à SIC-Notícias.

Hoje, no final do debate quinzenal no Parlamento, o primeiro-ministro disse desconhecer o eventual negócio entre a PT e a TVI.

"Nada sei disso, [porque] são negócios privados e o Estado não se mete nesses negócios. Não estou sequer informado disso, nem o Estado tem conhecimento disso", declarou José Sócrates.

A este respeito, a presidente do PSD considerou ainda "não só preocupante como verdadeiramente escandaloso" caso este negócio conduza à substituição do director-geral da TVI.

"Se neste processo for substituído o director-geral é gato escondido com corpo todo de fora e trata-se simplesmente de uma intervenção do Governo num órgão de comunicação social que, como ele [José Sócrates] disse várias vezes, lhe era incómodo", disse.

"Eu acho isto gravíssimo para a democracia e para a comunicação social", classificou.

"Não aumentarei com certeza os impostos"

A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, comprometeu-se hoje a não aumentar os impostos se vencer as eleições legislativas e formar Governo e reiterou a intenção de baixar a carga fiscal quando isso for possível.

"Não aumentarei com certeza os impostos", declarou a presidente do PSD, em entrevista à SIC.

"Em primeiro lugar, as regras que neste momento vigoram na União Europeia são completamente diferentes, direi que são opostas, àquelas que vigoraram quando eu um dia tive responsabilidade nas Finanças", justificou.

Manuela Ferreira Leite sublinhou que quando era ministra das Finanças e o Governo português decidiu aumentar o IVA "tinha um ano" para reduzir o défice e "se ao fim de um ano as contas não estivessem em ordem o país tinha uma penalização".

"Nunca ninguém refere isso, nunca ninguém refere que salvámos o país, por exemplo, de não ter acesso aos fundos estruturais. Neste momento nem existe essa penalização nem o prazo de um ano. Portanto, é evidente que chegando ao Governo eu não vou aumentar impostos", completou.

Referindo que Portugal está "numa situação de crise", a presidente do PSD considerou: "Não posso aumentar impostos, objectivamente é impossível. Se eu quero levar o país para o enriquecimento, não posso aumentar impostos".

"Baixarei impostos assim que for possível baixar", acrescentou, escusando-se a adiantar que impostos pretende baixar, "porque isso seria já neste momento fazer uma promessa".

"Eu não vou fazer uma única promessa que tenha dúvidas se posso ou não posso executar", declarou.

Questionada se tenciona manter o actual nível de apoios sociais que e se pensa que é possível fazer melhor nessa matéria, Manuela Ferreira Leite respondeu: "No mínimo, é possível fazer, e eu não estou convencida de que esteja a ser feito, porque só vejo anúncios".

"Se essas concretizações fossem efectivas isso tinha de se traduzir nalgum lado. Eu não vejo onde é que está no Orçamento do Estado. De onde é que vem o dinheiro?", questionou.

"Hoje o primeiro-ministro anunciou na Assembleia da República um enorme apoio à acção social escolar, aos alunos do Ensino Superior. Não é do orçamento das universidades, vem de onde? Sabe de onde é? Eu não. O primeiro-ministro disse? Não. Ou é uma fantasia aquele anúncio ou então o dinheiro está a vir não se sabe de onde", sustentou a presidente do PSD.

Sócrates "tentou mas não conseguiu" nova imagem

A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, afirmou hoje que José Sócrates "tentou mas não conseguiu" mostrar uma nova imagem na entrevista que deu à SIC na semana passada e recusou comentar uma eventual aliança com o PS.

Questionada pelos jornalistas à entrada para os estúdios da SIC, em Carnaxide, sobre a entrevista dada pelo chefe do Governo dada ao mesmo canal e se este tinha mostrado uma faceta de "animal feroz" ou "português suave", Ferreira Leite respondeu que "quem esteve [na SIC] foi quem os portugueses viram": "Essas qualificações não me compete a mim dá-las", afirmou.

Já interrogada sobre se na entrevista à jornalista Ana Lourenço esteve "um novo José Sócrates", a líder social-democrata referiu que o primeiro-ministro "tentou mas não conseguiu".

Em relação a uma aliança pós-eleitoral com os socialistas, reeditando o Bloco Central, Ferreira Leite não quis fazer qualquer comentário.

Sobre a Aliança Democrática (AD), protagonizada pelo PSD e o CDS em 1979, a presidente do PSD confessou ter "uma bela recordação" desse momento político, mas confrontada com uma repetição do mesmo, Manuela Ferreira Leite referiu que "na História nada se repete, muito menos quando os dois grandes protagonistas já cá não estão".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG