Mestrados mais longos para os futuros professores

Mestrados em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico vão passar de dois para três semestres e o mestrado conjunto das duas áreas vai passar de três para quatro semestres. Conselho de Ministros aprovou ainda o encerramento de mestrados que "já não correspondem a grupos de docência".

Quem quiser ser professor vai ter de frequentar mestrados mais longos. A medida, hoje, aprovada em Conselho de Ministros, "enquadra-se no conjunto de medidas para melhorar a qualidade da docência", sublinhou o ministro da Educação Nuno Crato.

Os alunos do mestrado de Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico vão estudar mais um semestre (de dois para três e na formação conjunta das duas áreas de três para quatro semestres). Os restantes mestrados vão também ter obrigatoriamente quatro semestres. Foi anunciado também o desdobramento do mestrado em Ensino do 1.º ciclo e do 2.º ciclo, separando a formação do 2.º ciclo de Português, História e Geografia da formação de Matemática e Ciências Naturais.

As alterações entram em vigor no ano letivo 2015/2016. Os novos mestrados terão de ser acreditados pela Agência Nacional. Mas se houver instituições que considerem já ter este ano as condições agora definidas, Nuno Crato, indicou que já podem pedir a respetiva acreditação do ciclo de estudos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG