Medicamentos proibidos em amostras de carne de cavalo

A carne de cavalo detectada nos hambúrgueres Auchan e de almôndegas Polegar contém vestígios de medicamentos proibidos, alerta a Associação de Defesa do Consumidor, Deco.

A Deco testou as amostras que tinha acusado ADN de cavalo e encontrou a presença do anti-inflamatório fenilbutazona. A associação indica, em comunicado, que vai divulgar estes resultados ao sistema de alerta rápido da União Europeia.

Os lotes testados não se encontram à venda e a Deco garante que a concentração do medicamento proibido é na ordem do micrograma, não presentando por isso "um perigo imediato".

No entanto, estes vestígios podem apontar para "duas hipóteses: ou se está a administrar ilegalmente medicamentos em animais destinados a consumo humano, ou se está a introduzir na fileira de consumo carcaças de animais não destinados a esses fim (por exemplo, os cavalos de desporto)".

A Deco pede ainda que a ASAE realize "testes mais frequentes para a avaliação da segurança alimentar".

Recorde-se que até agora não estava em causa a segurança alimentar, mas apenas um problema de rotulagem na falta de indicação da carne de cavalo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG