Maternidade Alfredo da Costa aberta até maio

A Maternidade Alfredo da Costa não irá fechar no final do ano, ao contrário do que tinha sido anunciado pelo Ministério da Saúde e pela presidente do conselho de administração. O encerramento obriga à realização de obras no Hospital D. Estefânia de forma a integrar os serviços que agora funcionam em separado. De acordo com Ana Campos, diretora do serviço de obstetrícia, as obras só estarão concluídas em maio.

"A Maternidade não irá encerrar no final deste ano, uma vez que as obras estarão prontas apenas em maio. Neste momento será concentrada na maternidade a atividade atual de neonatologia da D. Estefânia para poder haver obras naquele serviço", disse a diretora do serviço de obstetrícia da MAC, Ana Campos, à TSF.

A confirmação do encerramento da MAC foi feita há vários meses. O tema foi discutido várias vezes na Assembleia da República e várias iniciativas promovidas pelos profissionais e utentes pediram o recuo na decisão.

Paulo Macedo sustentou a decisão com a redução do número de partos na zona da grande Lisboa e com a abertura do Hospital de Loures, que começou a funcionar no início deste ano. O ministro da Saúde garantiu que as equipas seriam mantidas.

Mas essa continua a ser a grande preocupação dos profissionais da Maternidade Alfredo da Costa. "O que me preocupa é saber como o movimento da maternidade vai caber nas instalações de obstetrícia da D. Estefânia. o conselho de administração não consegue responder", salientou Ana Campos.

A médica questionou a decisão de se fazerem obras quando está prevista deslocação de todos os serviços para o novo hospital oriental de Lisboa a curto prazo. "Com é que num País em crise neste momento se vai gastar dinheiro em obras por três anos?"

"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG