Matemática voltou a ser o 'bicho papão'

Mais de 50 mil alunos fizeram esta manhã exame de Matemática A. Ao contrário dos outros exames realizados até agora, "difícil" foi a palavra mais usada pelos alunos à saída. Associação de professores concordam e antecipam resultados baixos.

Depois de fazer exame Português, Física e Química e o de Biologia e Geologia, Diogo Freitas não tem dúvidas de que o de Matemática, feito esta manhã, foi "o mais complicado".

A Associação de Professores de Matemática (APM) está de acordo e fala numa prova "extensa", com um "grau de dificuldade elevado" e "inesperada". Pela primeira vez não existe nesta prova, que tem a duração de duas horas e meia, "um problema de aplicação da matemática", o que até "é contra o programa e as expectativas dos alunos que contavam com isso", refere Jaime Carvalho da Silva, vice-presidente da APM.

Na Secundária Camões, em Lisboa, os alunos ficaram surpreendidos com as dificuldades. "Apenas porque os outros exames estavam a ser mais simples do que os do ano passado. Mas Matemática foi mais difícil. Estava à espera que saíssem mais funções e menos números complexos", explica João Ferreira, de 22 anos.

As dificuldades foram tantas que Marta Jorge, 18 anos, teve uma crise de ansiedade. "Cheguei à sala, comecei a olhar para a prova e a pensar que não conseguia fazer nada. Desatei a chorar e fiquei sem forças. Tive de vir cá fora beber água com açúcar. Estive não sei quanto tempo cá fora a acalmar-me", conta, no final do exame, já mais aliviada. Afinal não precisa da nota para entrar no ensino superior.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG