Marques Mendes criticou "incoerência" de José Miguel Júdice no apoio ao candidato

Livro Marques Mendes, que é membro da comissão política da candidatura de Cavaco Silva, foi o primeiro a insurgir-se contra a presença de José Miguel Júdice na comissão de honra do candidato. O antigo líder do PSD considerou que se trata de uma "incoerência de quem quer estar com todos e contra todos ao mesmo tempo".

Isto porque o advogado traça um retrato muito pouco simpático do consulado cavaquista no seu livro O Meu Sá Carneiro, que é apresentado amanhã, em Lisboa.

Júdice, que se desfiliou do PSD em 2006 durante a liderança de Mendes, diz, entre outras coisas, que Cavaco, que "entrou na cena política como o verdadeiro herdeiro" de Sá Carneiro, "procurando assumir o seu estilo frontal e sem cedências", acabou por transformar o PSD num partido "feito à sua imagem e semelhança: um partido tecnocrático, um catch all party, ou seja, um partido sem fronteiras, onde todos poderiam vir plantar a sua tenda, desde que aceitassem a liderança indiscutida do então primeiro ministro, e, assim, ajudassem a conquistar votos e a manter suseranias".

Exclusivos