Marisa: "Tenho vergonha de ter tido um Presidente que nunca pôs os pés numa cimeira do clima"

Candidata introduz questões ambientais na campanha eleitoral e lamenta que Cavaco não tenha estado nas cimeiras de Paris e Copenhaga

Tem sido a regra na campanha eleitoral de Marisa Matias e esta quinta-feira à noite a candidata à Presidência da República voltou a não desviar-se dela. Todos os dias tem introduzido um tema na agenda e desta feita foram as questões climáticas a ser trazidas ao debate. E com duríssimos ataques ao homem a que quer suceder em Belém.

No Pavilhão Centro de Portugal, em Coimbra, Marisa ancorou-se nos problemas ambientais locais para depois redefinir a escala e apontar aos planos nacional e internacional. E fazer arder, e de que maneira, as orelhas a Cavaco Silva. "Tenho vergonha de ter tido um Presidente da República que nunca pôs os pés numa cimeira sobre as alterações climáticas", afirmou a candidata apoiada pelo BE, notando que o ainda chefe do Estado "nunca quis decidir" e sempre "achou que essas coisas não eram nossas".

Lamentando que Cavaco não tenha dito nada durante os dois mandatos sobre os problemas ecológicos que o país enfrenta, recordou ainda as ausências de Cavaco da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2009, em Copenhaga, bem como da do final do ano passado, que teve lugar em Paris.

Uma vez que se opõe por inteiro à tese de que "não há política nestas eleições presidenciais", Marisa foi à Constituição e lembrou que também na dimensão ambiental a primeira figura do Estado tem uma palavra a dizer.

Socorrendo-se do artigo 66.º da Lei Fundamental - que estabelece que "todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender" -, Marisa salientou que não temos assistido à defesa dessa premissa com amparo constitucional e garantiu que tudo fará para que todos os portugueses tenham direito a um "Estado ambientalmente justo".

Exclusivos