Marcha "com futuro" homenageia o passado

(Com vídeo) Benfica. Conjunto celebra os 80 anos da primeira participação no concurso "à espera do que o júri quiser dar".

Quando viram um anúncio numa rede social a pedir um casal de marchantes para integrar o conjunto de Benfica, Rita Martins e o marido não hesitaram em inscrever-se. "Sempre tive curiosidade em participar", justifica a lisboeta de 37 anos, que se estreia a representar o seu bairro no ano em que este assinala o 80.º aniversário da primeira participação nas Marchas Populares.

"É das marchas mais antigas a concurso. Começámos em 1934 e logo com um 3.º lugar [entre 12]", lembra Carlos Jorge Español, ensaiador do conjunto a par de Cláudio Domingos. O responsável esclarece, no entanto, que a apresentação não evocará apenas o passado. "Uma parte vai ser os salões e, depois, vai ter uma parte sobre o futuro", revela, adiantando que o preto e o vermelho vão ser as coisas mais presentes na exibição. "Esta é uma marcha com futuro", remata.

A composição do grupo que ensaia no pavilhão da Escola Secundária José Gomes Ferreira parece confirmar as suas palavras. Sem nenhum marchante ausente, são muitos os jovens que vão repetindo os passos que quem vê de fora ajuda a não esquecerem. "É um grupo com pessoas muito diferentes", descreve Rita, desvalorizando a ideia de que, por ser um bairro maior e situado na zona norte de Lisboa, quem lá vive não seja bairrista. "Quem cresceu aqui é", assegura, sem esconder que não é fácil trocar os "minutinhos de descanso no sofá" pelo exercício físico característico dos ensaios e que é um verdadeiro treino para a dureza das exibições a concurso.

"A gente espera o que o júri quiser dar", limita-se a antever Carlos Jorge Español. No ano passado, Benfica ficou na 15.ª posição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG