Marcelo? "Espero que não queira transformar derrota em vitória", diz Marisa

A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda afirma que Marcelo Rebelo de Sousa está a perder confiança

Marisa Matias não tem dúvidas de que Marcelo Rebelo de Sousa está "a baixar a fasquia" e de que apresenta sinais de estar a diminuir os níveis de confiança nos últimos. Esta segunda-feira, no Entroncamento, a candidata à Presidência da República apoiada pelo BE recordou declarações em que o professor afirmava que "dentro de semanas" seria chefe do Estado para notar que esse otimismo está a esmorecer.

No Museu Nacional Ferroviário, a eurodeputada anteviu categoricamente que haverá segunda volta - e frisou que espera ser ela própria a disputá-la - e deixou um alerta ao candidato apoiado por PSD e CDS se esse cenário se vier confirmar: "Espero que Marcelo Rebelo de Sousa não queira transformar uma derrota numa vitória."

Sempre com o ex-líder do PSD na mira, Marisa aproveitou a ocasião e as questões da ferrovia - em particular o desmantelamento das linhas em Trás-os-Montes e no Alentejo - para assinalar que se opõe à ideia de que existam dois países, como tem dito o seu adversário, embora a propósito da cisão esquerda/direita.

"Quando estava a direita a governar era a democracia a funcionar", atirou a candidata diante de um comboio presidencial utilizado pelos chefes de Estado entre 1910 e 1970, fazendo ainda um novo remoque: "Não temos dois países, temos um. O que temos é dois Marcelos."

Quanto a uma eventual segunda volta, à qual disse estar convicta de que chegará, Marisa sublinhou que traduzirá uma "batalha entre uma Presidente que apoia a mudança" que se verificou após as legislativas e outro que "quer regressar ao medo". E rematou com o apelo de que espera que toda a esquerda se una nessa altura, a 14 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG