Mais utentes com médico de família

O presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) anunciou hoje que a maioria dos utentes sem médico de família já o tem na sequência da criação de uma lista com utentes "adormecidos".

Luís Cunha Ribeiro disse aos deputados da Comissão Parlamentar de Saúde, onde este foi um dos temas da audiência, que no Agrupamento de Centros de Saúde Grande Lisboa II - Lisboa Oriental, onde está a ser realizada uma experiência piloto, são muitos os que já têm médico de família.

Segundo o responsável, no centro de saúde dos Olivais os utentes sem médico de família passaram de 17.462 para 1355, enquanto no centro de Penha de França baixou de 8.722 para 67.

Em relação aos médicos, Luís Cunha Ribeiro admitiu que estes poderão ser colocados "onde fazem falta", lembrando que os que trabalham 35 horas têm a seu cargo até 1500 doentes e os que trabalham 42 horas até 1800.

O dirigente garantiu que, apesar de constarem numa lista "adormecida", aí colocados por não usarem qualquer serviço do centro de saúde nos três anos anteriores, nenhum destes utentes fica sem médico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG