Mais segundos matrimónios

Pessoas repetem casamentos, incluindo os que têm filhos. E, cada vez mais, vivem primeiro em união de facto.

Os casamentos continuam a diminuir e num ritmo mais acelerado a que estão a aumentar os divórcios. Mas são os jovens e os solteiros que casam menos. Há mais segundos e terceiros matrimónios, mais pessoas com filhos e que se casam e uniões de facto oficializadas.

As Estatísticas Demográficas de 2008, cujo tratamento final o INE ontem apresentou, indicam 46 329 casamentos, menos 3101 do que em 2007. Já nos divórcios, assiste-se à situação inversa: 26 885 separaram-se oficialmente, mais 1474 que no ano anterior.

As pessoas eram solteiras em dois terços dos casos, proporção que tem vindo a diminuir, sobretudo no Algarve, em que 64,5% são as primeiras uniões oficiais de ambos os cônjuges. O Norte apresenta a percentagem mais elevada de primeiros casamentos, 82,1%.

Os segundos ou mais casamentos têm vindo a aumentar, 23,4% dos matrimónios em 2008 (22,9% em 2007), tal como o número dos que decidem viver em união de facto antes de casar, 35,4% (31,8% no ano anterior). E, também, há mais casais com filhos de uniões anteriores, homens e mulheres.

Os portugueses estão a casar mais com estrangeiros, representando 13% do total das uniões. Mas, neste campo, existem diferenças entre os sexos: são os homens que mais casam com as estrangeiras, 3636 em 2008, quase o dobro das mulheres, 1967.

A idade média do casamento situa-se, agora, acima dos 30 anos para ambos os sexos, 32,6 no caso dos homens; e 30,1, nas mulheres.

Agosto é o mês escolhido para se casar, sendo que a maioria das pessoas optam por casar no Verão. E são mais os que optam pelo civil, 23 865, a maioria desde 2007.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG