Madeireiro, casado e pai de filhos, terá ateado seis incêndios em apenas três dias

O suspeito de 48 anos foi agarrado segunda-feira à noite por populares depois de ter ateado dois focos de incêndio na zona de Penacova. De sábado até segunda causou seis fogos florestais.

O grande incêndio do Lavradio (Oliveira do Mondego, Coimbra), que ainda estava ativo ontem de manhã, mobilizando centenas de bombeiros e meios, terá tido a assinatura de um madeireiro detido pela Polícia Judiciária de Coimbra ainda na noite de segunda-feira. A PJ está a investigar a possibilidade de o suspeito, de 48 anos, ter provocado os fogos por interesses económicos, visto que a madeira queimada para derreter na celulose é mais barata, ou se o terá feito movido pelo álcool (como alegou). Há pelo menos "fortes indícios de que tenha sido responsável por seis incêndios na zona de Penacova desde sábado até segunda-feira", como explicou ao DN o inspetor Carlos Dias, da PJ de Coimbra.

De 1 de janeiro a 11 de agosto, a Polícia Judiciária constituiu 65 arguidos pelo crime de incêndio florestal. Até ao momento, a GNR deteve 48 suspeitos de atearem incêndios. No total, existem 113 presumíveis incendiários detidos pelos dois órgãos de polícia criminal.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG