Madeira aumenta importação de produtos pirotécnicos

As tradições natalícias dos madeirenses e a permissão de lançamento de foguetes no verão são as razões apontadas para o aumento das importações de produtos pirotécnicos na Madeira e que em 2011 ultrapassou os 3.600 quilos.

Os 14 estabelecimentos que na Madeira estão licenciados para comercializar produtos pirotécnicos importaram 3.611 quilos de matéria activa [pólvora] em 2011, um aumento de 51 quilos face ao ano passado, informou à Lusa o Núcleo de Armas de Explosivos do Comando Regional da Polícia de Segurança Pública.

Só para o espectáculo de fim de ano, "são usados 902 quilos desta matéria", precisou a PSP.

O uso dos produtos pirotécnicos deve-se, segundo fontes ligadas ao setor ouvidas pela Lusa, "às boas tradições natalícias dos madeirenses, caso das missas do parto, onde é gasto muito material a pedido das paróquias e respectivas comissões de festa".

O facto de a região poder "lançar foguetes no período de verão, ao contrário do que se passa no continente, pois o Decreto-lei 124/2006 de 24 de Junho proíbe-o expressamente" é outras das razões que podem justificar a importação do material.

Os vendedores dos brinquedos pirotécnicos também contaram à Lusa que são muito usados no período de natal e fim de ano na Madeira.

Para o comerciante Rui Camisanova, a justificação para o aumento passa "pelas festas religiosas" e pelos casamentos uma vez que "é pedido cada vez mais fogo para comemorar a data".

Rui Camisanova vende "fogo" há nove anos e considera que, apesar do aumento do volume de importação, o consumo está "a baixar, até pelo poder de compra que também baixou".

A maior quantidade é vendida "a partir de dia 26 de Dezembro". A média de compra, de acordo com este empresário é de "40 euros por pessoa".

Por seu lado, Rui Gomes, outro empresário do sector considera que queimar produtos pirotécnicos "é uma tradição, pois toda a casa gosta de dar um pedacito de fogo nesta altura de fim de ano".

Com 25 anos de porta aberta vende "fogo de todas as maneiras, feitios e tamanhos".

"Há as estrelinhas, os beijinhos, os foguetinhos, as bombas pequenitas e maiores, baterias, abelhinhas e aviõezinhos", num sem fim de material para queimar em pouco tempo.

Segundo a PSP, podem comercializar produtos pirotécnicos todos os que possuam Carta de Estanqueiro, passada pela direcção nacional da PSP.

Na Madeira existem 14 estabelecimentos legalizados, embora muitos deles apenas comercializem produtos pirotécnicos no período do Natal e fim do ano.

Compete à PSP fiscalizar os estabelecimentos de venda, os paióis de armazenagem, como também verificar as condições de segurança e legalidade dos mesmos produtos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.