Macedo: "O PSD sente-se enganado"

Miguel Macedo afirmou hoje que "o PSD sente-se enganado" no acordo que fez com o Governo para reavaliar as Parcerias Público Privadas (PPPs) e grandes obras públicas, uma das contrapartidas para aprovar o Orçamento do Estado.

O líder parlamentar laranja reagiu assim à notícia da demissão de Manuel Avelino de Jesus do grupo de trabalho para a reavaliação das PPPs por alegada falta de informação da Administração para cumprir a missão.

Macedo afirmou que "a demissão prova que não é possível fazer acordos com este Governo". "Significa, uma vez mais, que acordos celebrados com o Governo não são para cumpridos."

O líder parlamentar do PSD não revelou se o partido vai denunciar o acordo sobre as PPPs. Avelino Jesus tinha sido indicado pelos sociais democratas, a quem caberá apontar um nome substituto.

Antes, o CDS acusara o Governo de estar a romper o acordo ao avançar com o TGV e anunciou que vai chamar Avelino de Jesus para uma audição no Parlamento.

O líder parlamentar centrista, Mota Soares, revelou que o pedido de audição também se estenderá a Oliveira Martins, o presidente da comissão e presidente do Tribunal de Contas.

Por seu lado, as Finanças recusaram qualquer demora no envio de informação.

Em comunicado, citado pelo Público, o ministério de Teixeira dos Santos garante que, "em articulação com os ministérios competentes, respondeu sempre, de forma expedita e exaustiva, às solicitações de informação apresentadas pelo grupo de trabalho".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG