Louçã veria hoje 'com outros olhos reunião com a troika'

Quinze dias depois das eleições, nas quais o Bloco de Esquerda (BE) perdeu cerca de 270 mil votos e metade dos seus deputados (passou de 16 para oito), Francisco Louçã responde nesta entrevista a muitas das críticas que se têm ouvido, dentro e fora do partido de que é coordenador.

Em resumo, fica implícito que hoje se reuniria com os elementos da troika e explícito que entende ter perdido muitos votos com essa decisão. Em nome da coerência política, há, no entanto, algo que não aceita: que o BE se torne aliado "deste PS", que Francisco Louçã entende como um partido comprometido com os grandes interesses económicos e pouco socialista.

"O que é facto é que para muitas pessoas o BE devia ter expressado os seus pontos de vista junto desses delegados das instituições [que nos concederam o empréstimo: Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia], e a nossa atitude não foi compreendida e isso prejudicou-nos do ponto de vista eleitoral. Poderíamos ter tomado uma atitude diferente, certamente. Essa crítica foi-nos expressa de uma forma muito clara, por muitas pessoas. Nós registamo-la, reconhecêmo-la e respeitamo-la. A nossa atitude não foi compreendida por uma grande parte do eleitorado", diz.

Leia a entrevista na íntegra no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG