Leonor Beleza veria "com bons olhos" uma mulher no Palácio de Belém

Presidente da Fundação Champalimaud diz que veria "com bons olhos" uma mulher nas funções de Presidente da República, mas garantiu que não se irá envolver diretamente na corrida a Belém.

"Eu vejo sempre com bons olhos mulheres em todos os cargos que são politicamente relevantes ou relevantes de outro ponto de vista. As questões relacionadas com o estatuto das mulheres são, para mim, questões de uma vida inteira", disse a antiga ministra da Saúde (1985-90), com 66 anos e a liderar a instituição de investigação científica desde 2004, a Fundação Champalimaud.

Em entrevista à Agência Lusa, por ocasião do último ano de mandato de Cavaco Silva, e questionada sobre a possibilidade de vir a existir um candidato feminino ao lugar de "mais alto magistrado da nação", Leonor Beleza, membro do Conselho de Estado, apoiou a ideia, mas rejeitou estar no seu horizonte pessoal.

"Portanto, sim, veria (com bons olhos) aí (Presidência da República) e em muitos outros sítios. Isso não é, com certeza, um problema no qual eu me vá envolver diretamente", disse, depois de colocada perante o exemplo da atual legislatura, na qual Assunção Esteves foi a primeira mulher presidente da Assembleia da República.

Sobre os nomes que se vão perfilando como presidenciáveis, especialmente na sua área política - Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio ou Santana Lopes, entre outros -, a jurista de formação recusou pronunciar-se.

"Essas movimentações não têm a ver com o mandato de Cavaco Silva, que merece ficar na nossa memória, quando terminar o seu mandato, como um grande Presidente da República", concluiu.

Leonor Beleza foi deputada, e vice-presidente da Assembleia da República, entre 1991 e 1994 e entre 2002 e 2005, além de ter desempenhado as funções de secretária de Estado da Presidência do Conselho de Ministros (1982-83) e de secretária de Estado da Segurança Social (1983-85).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG