Lar acusado de maus tratos obrigado a encerrar

O proprietário do Lar Idoso 24, em Vila Nogueira de Azeitão, Setúbal, confirmou hoje o encerramento imediato da unidade na sequência de uma inspeção feita por elementos da Segurança Social e da Direção Regional de Saúde de Setúbal.

Em declarações aos jornalistas, Carlos Prado negou, mais uma vez, que os idosos fossem vítimas de maus tratos, mal alimentados ou medicados em excesso para ficarem sedados.

Nas instalações do lar encontram-se sete idosos a aguardar transferência para outros locais, nomeadamente para casa de familiares, o que só deverá ocorrer durante a tarde de hoje.

Entretanto, a diretora do centro regional da Segurança Social de Setúbal, Ana Clara Birrento, ordenou que fossem entregues refeições aos sete idosos que ainda permanecem no lar, as quais serão servidas em colaboração com a junta de freguesia de São Lourenço, para cujas instalações os idosos deverão ser transferidos até serem recolhidos pelas famílias.

Questionado sobre se tinham sido retirados idosos durante a madrugada de hoje, o proprietário do lar Idoso 24 começou por dizer que não, mas acabou por admitir o contrário, alegando que alguns tinham, entretanto, regressado a casa de familiares.

Porém, Amélia Raposo, ex-funcionária do lar e autora das denúncias, disse à agência Lusa que hoje de madrugada foram retirados cinco idosos para um outro lar com o mesmo nome, na Quinta do Conde, concelho de Sesimbra, no qual Carlos Prado também "tem participação" e onde "as condições ainda são piores".

Carlos Prado refutou que o lar de Azeitão tivesse sido encerrado por maus tratos aos idosos, alegando que o fecho deveu-se a "falta das condições exigidas por lei".

Contudo, para que o lar seja encerrado de urgência é necessário que haja risco de vida ou ameaça à integridade física dos utentes.

O lar Idoso 24 funcionava desde janeiro deste ano, tendo chegado a acolher 20 idosos, sendo que nenhum dos quais recebia comparticipação da Segurança Social.

O preço cobrado por idoso oscilava entre os 420 e 495 euros.

A TVI mostrou na segunda-feira uma reportagem com imagens de um lar de idosos em Azeitão, Setúbal, onde cerca de 20 seniores passam alegadamente fome e frio, são maltratados, e recebem medicação a mais.

Contudo, o Instituto da Segurança Social (ISS) garantiu à Lusa que não detetou nenhum caso de fome ou frio no lar Idoso 24, assegurando que, se isso tivesse acontecido, o lar teria sido encerrado imediatamente.

De acordo com informações prestadas pelo ISS, o lar recebeu uma ordem de "encerramento administrativo" a 01 de outubro por ser ilegal, depois de uma fiscalização que detetou irregularidades que não colocavam "em risco a vida ou a integridade física dos idosos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG