Juiz troca prisão por pulseira eletrónica a ex-motorista de Sócrates

Novas declarações levaram MP a pedir alteração da medida de coacção. Ex-primeiro-ministro confiante no êxito do recurso.

Primeiro, João Perna, ex-motorista de José Sócrates, prestou novas declarações. Depois, o procurador Rosário Teixeira pediu a alteração da medida de coação. Ontem, o juiz de instrução Carlos Alexandre aceitou a proposta do Ministério Público (MP). Tudo isto em 24 horas. Resultado: João Perna vai deixar o Estabelecimento Prisional anexo à Polícia Judiciária, em Lisboa e, muito provavelmente, passará o Natal com a família.

O advogado do arguido, Ricardo Candeias, sublinhou que o procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) acolheu a "tese da defesa e achou que havia motivos para alterar a medida de coação" aplicada ao motorista do ex-primeiro-ministro. Aparentemente, o ex-colaborador de José Sócrates terá prestado declarações no sentido de, segundo a perspetiva do Ministério Público, ajudar a investigação do processo. João Perna está em prisão preventiva, desde o passado dia 24 de novembro, por indícios de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e posse de arma proibida.

Leia mais na edição impressa e no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG