Seis anos de prisão por esfaqueamento na Queima das Fitas do Porto em 2017

Coletivo de juízes referiu que a pena poderia ter sido mais pesada. Vítima ficou com sequelas na fala, na visão e num braço

Um jovem que esfaqueou outro na cara, pescoço e abdómen no recinto da Queima das Fitas, no Porto, em maio de 2017, foi hoje condenado a seis anos de prisão.

Além disso, o coletivo de juízes do Tribunal São João Novo, no Porto, sentenciou ainda o arguido de 22 anos, em prisão preventiva -- medida de coação mais gravosa --, a pagar as despesas hospitalares num total de 8.798 euros.

Dizendo que a pena de prisão poderia ter sido mais pesada, o juiz presidente explicou que teve em consideração a sua idade e o facto de, na altura do crime, estar alcoolizado e sob o efeito de drogas. "O que fez foi muito grave e não tem justificação", realçou.

Na madrugada de 13 de maio de 2017, no recinto da Queima das Fitas, no Porto, o arguido esfaqueou a vítima, de 29 anos, depois de uma troca de olhares e discussão. Depois de ter sido esfaqueado quatro vezes na cara, pescoço e abdómen, a vítima esteve internada no hospital em estado grave, tendo ficado com sequelas na fala, visão e braço.

Após o crime, o arguido fugiu do local, apagou a sua página pessoal na rede social Facebook e esteve um mês em parte incerta, sendo posteriormente detido.

Em audiência de julgamento, o arguido, já com cadastro por tráfico de droga e furto, confessou os factos, mostrando-se arrependido.

A vítima pediu uma indemnização civil em processo autónomo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG