José Sócrates acusa Passos Coelho de "cobarde ataque pessoal"

Em carta enviada ao DN, José Sócrates acusa Passos Coelho de "perseguição política". O ataque, diz, revela "o quanto [Passos] está próximo da miséria moral".

José Sócrates acusa Pedro Passos Coelho de lhe fazer "um cobarde ataque pessoal", que revela "o seu carácter e o quanto está próximo da miséria moral".

O ex-primeiro-ministro responde assim, numa carta ao Diário de Notícias, a Passos, que na terça--feira, confrontado com três dias de notícias sobre as suas dívidas à Segurança Social, afirmou, no encerramento das jornadas parlamentares do PSD: "Não sou nem nunca serei um cidadão perfeito, tenho as minhas imperfeições, mas por mais que remexam não encontrarão no cidadão Pedro Passos Coelho ninguém que, como primeiro-ministro, tenha usado o lugar que tinha para enriquecer, prestar favores ou viver fora das suas possibilidades."

Na carta enviada ao DN (leia ao lado), José Sócrates, preso preventivamente em Évora desde novembro - indiciado por fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção -, afirma que "num momento desesperado face às acusações de incumprimento das suas obrigações contributivas", o primeiro-ministro "não resistiu a trazer para a campanha eleitoral o processo em que fui envolvido". "Ao atacar um adversário político que está na prisão a defender-se de imputações injustas, o senhor primeiro-ministro não se limita a confirmar que não é um cidadão perfeito, antes revela o seu carácter e o quanto está próximo da miséria moral."

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG