João, alcoólico e desempregado, mata o filho para fazer a companheira sofrer

Um casamento a desfazer-se, a recaída no álcool, depois de um tratamento, e o desemprego, situação que o fixava em casa a tratar do bebé - é este o quadro em que João, 33 anos, matou o filho de 5 meses.

João Barata, 33 anos, desempregado, é o homem suspeito de ter assassinado o filho bebé, à facada, em Linda-a-Velha. Com um passado de problemas com álcool e drogas, a sua relação com a mulher estaria a desfazer-se. "As discussões eram muitas", contam os vizinhos. Já havia antecedentes de violência doméstica. Com este quadro, o homem partiu para um desfecho inesperado: matar a criança e ligar a seguir à mulher, num ato que indicia um desejo de causar sofrimento à companheira.

Ao balcão do café Tinoco, em Linda-a-Velha, o dedo de Rafael percorria ontem o feed de notícias que o seu telemóvel lhe apresentava. Os itens apresentados eram, praticamente, dominados pelo homem que, na quarta-feira à tarde, lhe pediu o telemóvel para telefonar: João Barata, 33 anos, suspeito de ter matado o próprio filho, Henrique, 5 meses, com uma faca no peito. "Pediu-me o telemóvel, telefonou a alguém e depois essa pessoa ligou para mim e eu percebi o que se estava a passar."

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG