Jerónimo acusa Presidente de "exorbitar funções"

Líder do PCP diz que "não é admissível" intervenção de Cavaco sobre "legitimidade dos partidos" e não abre jogo sobre negociações

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou esta sexta-feira que o Presidente da República "exorbitou funções" e "subverteu os fundamentos do regime democrático" ao justificar a indigitação de Passos Coelho como primeiro-ministro da forma como o fez.

Para Jerónimo, que falava aos jornalistas numa conferência de imprensa no Parlamento, a comunicação de Cavaco Silva constitui "mais um episódio de assumido confronto com a Constituição da República", notando ainda que "não é admissível" a intervenção presidencial sobre a "legitimidade dos partidos".

Questionado sobre as negociações, o líder comunista repetiu o que tem dito em público, de que o PS tem "condições para a formação de um governo", adotando uma "solução que seja duradoura". E não esclareceu o que fará o PCP se o Presidente colocar como condição para aceitar esse acordo a ida explícita do PCP para o executivo. "No momento que estamos não é esse [cenário]."

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.