Vila Viçosa abre unidade de cuidados continuados

Uma nova Unidade de Cuidados Continuados de Longa Duração e Manutenção, destinada a acolher 30 doentes acamados, já abriu em Vila Viçosa, revelou o provedor da Santa Casa da Misericórdia, Jorge Rosa.

O provedor explicou que a nova infraestrutura de saúde, promovida pela Misericórdia de Vila Viçosa, envolveu um investimento de 2,2 milhões de euros, com uma comparticipação do Estado, através da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, de 740 mil euros, ao abrigo do Programa Modelar 1 e 2.

Jorge Rosa indicou que a unidade está situada na Cerca de São Paulo, junto ao Largo D. João IV.

O equipamento, segundo o provedor, integra a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados e destina-se "à reabilitação e tratamento de doentes dependentes", nas várias fases, que necessitam de mais de 90 dias de internamento.

Segundo o mesmo responsável, para o funcionamento da unidade foi efetuado um acordo entre a Misericórdia de Vila Viçosa, o Ministério da Saúde e a Segurança Social.

De acordo com ARS do Alentejo, com a abertura desta unidade, a região do Alentejo passou a disponibilizar 642 lugares de internamento nas tipologias de convalescença, cuidados paliativos, média duração e reabilitação e em longa duração e manutenção.

A estes lugares de internamento, segundo a ARS do Alentejo, acresce a resposta em domicílio, no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, prestada pelas equipas de Cuidados Continuados Integrados e pelas equipas comunitárias de Suporte em Cuidados Paliativos.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.