Vigilantes fazem greve parcial entre 13 e 17 de abril

O sindicato acusa a empresa de vigilância e segurança privada de não aceitar rever os salários, congelados desde 2011, e de desregular os horários de trabalho.

Os trabalhadores da vigilância e segurança privada que trabalham nos aeroportos portugueses vão cumprir uma greve parcial entre os dias 13 e 17 de abril, nas infraestruturas do Porto, Funchal e Porto Santo, contra o congelamento salarial.

De acordo com um comunicado do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação Civil (SITAVA), a paralisação será de duas horas diárias, no inicio dos turnos, e no dia 13 decorrerá entre as 11:30 e as 14:00, período para o qual estão marcadas concentrações nos três aeroportos.

Estes trabalhadores, designados por assistentes de portos e aeroportos, são funcionários da Securitas, com quem o Sitava tem tentado, em vão, negociar o contrato coletivo de trabalho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.