Vigilantes fazem greve parcial entre 13 e 17 de abril

O sindicato acusa a empresa de vigilância e segurança privada de não aceitar rever os salários, congelados desde 2011, e de desregular os horários de trabalho.

Os trabalhadores da vigilância e segurança privada que trabalham nos aeroportos portugueses vão cumprir uma greve parcial entre os dias 13 e 17 de abril, nas infraestruturas do Porto, Funchal e Porto Santo, contra o congelamento salarial.

De acordo com um comunicado do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação Civil (SITAVA), a paralisação será de duas horas diárias, no inicio dos turnos, e no dia 13 decorrerá entre as 11:30 e as 14:00, período para o qual estão marcadas concentrações nos três aeroportos.

Estes trabalhadores, designados por assistentes de portos e aeroportos, são funcionários da Securitas, com quem o Sitava tem tentado, em vão, negociar o contrato coletivo de trabalho.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.