Verbas para ala pediátrica do São João continuam bloqueadas

Ministro da saúde garantiu que o dinheiro estaria disponível em duas semanas

O presidente do conselho de administração do Hospital de São João, António Oliveira e Silva, afirmou esta quarta-feira que as verbas para a construção da nova ala pediátrica do centro hospitalar, no Porto, ainda não foram desbloqueadas.

"O ponto de situação em relação ao desbloqueamento de verbas é o mesmo desde que começámos com este processo", afirmou António Oliveira e Silva na comissão paramentar de Saúde, onde foi ouvido esta quarta-feira, a pedido do PCP e do PSD, sobre os problemas existentes no Hospital de S. João.

Respondendo aos deputados sobre o desbloqueamento das verbas para a obra da ala pediátrica, o responsável disse que "as verbas não estão desbloqueadas", sublinhando que "a totalidade das verbas não está nas contas" do hospital. "Nas contas do hospital estão 19,8 milhões de euros", salientou.

No passado dia 16 de abril, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse que os procedimentos para avançar com a construção da nova ala pediátrica do hospital seriam desbloqueados no espaço de duas semanas, garantindo que o dinheiro estava disponível.

"Faz-me lembrar quando era miúdo, que os meus pais e os meus padrinhos punham-me dinheiro na conta e eu estava cheio de dinheiro, mas não podia gastá-lo", afirmou António Oliveira e Silva, comentando o facto de não poder aceder às verbas para avançar com a obra.

"Mas isto não é o mais importante, o que importa é termos autorização de despesa por parte dos ministérios das Finanças e da Saúde" para iniciar o processo de lançamento do concurso para as obras no hospital.

"O Centro Hospitalar de São João tem um centro pediátrico que é único na assistência pediátrica na região norte, não é substituível, não é transplantável", frisou.

A falta de condições de atendimento e tratamento de crianças com doenças oncológicas foi denunciada por pais de crianças doentes que são atendidas em ambulatório e também na unidade do 'Joãozinho', para onde as crianças são encaminhadas quando têm de ser internadas no Centro Hospitalar de São João.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.