Um milhão e meio protestou contra Governo

A organização do protesto "Que se lixe a troika, o povo é quem mais ordena" diz que as manifestações realizadas no país reuniram 1.5 milhões de pessoas.

Nas principais cidades nacionais os desfiles já terminaram. Agora as atenções concentram-se em Lisboa e no Porto onde vão ter lugar os principais discursos desta tarde de sábado.

Lisboa - 18.20

Organização do protesto garante que em Lisboa esta foi a maior manifestação de sempre. Moção de censura popular aprovada no Terreiro do Paço quer "derrubar o poder político corrupto que se arrasta há vários governos". "Obviamente, estão demitidos", ouve-se antes do final do protesto com a multidão a cantar a "Grândola, Vila Morena".

Évora - 18.20

Final do protesto em Évora foi ao som da canção de José Afonso.

Coimbra - 18.20

As pessoas começam a desmobilizar em Coimbra. O trânsito automóvel já circula na Ponte de Santa Clara.

Porto - 18.10

Os manifestantes já estão todos na Avenida dos Aliados, seguem-se os discursos na Praça da Liberdade. Até ao momento não se registaram incidentes.

Setúbal - 18.05

Mais de dois mil manifestantes percorreram pacificamente a Avenida Luísa Todi, onde reclamaram por diversas vezes a demissão do Governo, concentrando-se na Praça do Bocage, onde entraram a cantar "Grândola, Vila Morena". O protesto terminou sem incidentes.

Aveiro - 18.00

Terminou o protesto que contou, segundo a organização, com cerca de oito mil pessoas, e pelas contas da polícia seis mil. No final registou-se um incidente: um homem que estava a ser retirado do local pela PSP estilhaçou um vidro do banco BPI.

Coimbra - 18.00

Manifestantes chegaram à Praça da Canção, onde se costumam realizar os concertos da Queima das Fitas). Protesto foi sempre pacífico e participado por pessoas de todas as idades. Grita-se "o povo unido jamais será vencido".

Castelo Branco - 17.50

Terminou o protesto na cidade, que não teve o número de participação de setembro de 2012.

Lisboa - 17.50

Quase uma hora depois do início do desfile ainda há pessoas a sair do Marquês de Pombral.

Funchal (Madeira) - 17.45

Neste momento, a manifestação no Funchal ronda as duas mil pessoas que continuam a desafiar Alberto João Jardim, que não está na Madeira. O presidente do governo regional está em Dublim.

Lisboa - 17.40

O cantor Carlos Mendes e o advogado Garcia Pereira estão no Terreiro do Paço inseridos num grupo que canta "Grândola".

Viana do Castelo - 17.40

PSP estima em 800 os participantes no protesto nesta cidade.

Funchal (Madeira) - 17.35

Desfile chegou ao edifício da Quinta Vigia. As palavras de ordem são contra o presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, e exige-se a sua demissão e a de Passos Coelho. Isto além da frase "cachorro és tu".

Porto - 17.35

No Porto deve ser batido o número de manifestantes que estiveram no protesto de 15 de setembro de 2012. Neste momento a Avenida dos Aliados já está com lotação esgotada e ainda há muita gente a sair da Praça da Batalha. Estimativas apontam para as 200 mil pessoas.

Setúbal - 17.30

Nesta cidade participam cerca de 3000 pessoas. Manifestaram-se contra o Governo com frases como "Parem de nos roubar", "Solta a Grândola que há em ti" ou " Revolução dos escravos".

Lisboa - 17.30

Manifestantes começam a chegar ao Terreiro do Paço. Para já um grupo de dança de rua (os king size) anima o ambiente. Em outras zonas da praça ouvem-se canções de José Afonso.

Viana do Castelo - 17.20

Terminou sem incidentes o protesto em Viana, na despedido os participantes cantaram a canção que tem servido de banda sonora dos protestos: "Grândola, Vila Morena".

Évora - 17.20

Protesto em Évora conta com mais de 1500 pessoas, de acordo com a organização. Um dos manifestantes tem um coelho de peluche pendurado numa forca.

Lisboa - 17.15

Agência Lusa e RTP juntam-se ao protesto. Vários trabalhadoresentoam palavras de ordem contra as políticas do Governo relativas aos dois órgãos de comunicação social. "Destruir a Lusa é atacar a democracia", lê-se numa das faixas

Viana do Castelo - 17.10

"Grândola, Vila Morena" cantada pela segunda vez na Praça da República, por cerca de 500 manifestantes que gritam "Gaspar escuta o povo está luta" ou " Passos e Gaspar são piores que Salazar". Segue-se o desfile pelas ruas da cidade até à Praça da Liberdade, onde será aprovada uma moção de censura ao Governo, anunciaram os promotores.

Coimbra - 17.10

Multidão invade a zona histórica da Baixa. A PSP não faz estimativa do número de participantes, mas a organização já admite uma presença idêntica à de setembro de 2012: 20 mil pessoas.

Portimão - 17.10

Sob o "comando" dos Homens da Luta cerca de 3000 pessoas juntam-se na Praça Manuel Teixeira Gomes, em Portimão.

Lisboa - 17.00

"Submarinos, TGV e eu sem nada ao fim do mês", ouve-se nas colunas de um dos carros que acompanham o desfile em Lisboa. Aos poucos os cânticos estão a subir de tom. Também está presente o grupo dos "(d) eficientes indignados: "Nós somos gente, deficiente é o Governo."

Viana do Castelo - 16.55

500 manifestantes interrompem o trânsito na avenida principal da cidade.

Funchal (Madeira) - 16.55

A organização estima em cerca de mil os manifestantes no protesto que está a decorrer. Desfile parou em frente ao parlamento regional e ouve-se: "Está na hora de o Governo ir embora."

Coimbra - 16.50

Nas ruas de Coimbra continua-se a ouvir "Grândola" enquanto a manifestação está prestes a chegar aos Paços do Concelho. Há menos polícia visível do que aconteceu a 15 de setembro de 2012.

Lisboa - 16.45

A coluna de manifestantes está parada a meio da Avenida da Liberdade e não via ser fácil chegar ao Terreiro do Paço, onde termina o protesto. Vê-se gente de todas as idades, com cartazes a pedir a demissão do Governo, o fim da troika e frases alusivas ao 25 de abril de 1974. Os organizadores do movimento "que se lixe a troika" avisam que o Rossio está lotado.

Porto - 16.45

Cerca de 20 mil pessoas iniciaram o desfile entre a Praça da Batalha e a Avenida dos Aliados. Depois dos discursos de "lançamento" do protesto surgiu uma faixa com duas palavras: "obviamente demitam-se".

Viseu - 16.40

Cerca de 600 pessoas saíram do Largo de Santa Cristina para um desfile pela cidade, gritando "FMI fora daqui" ou "A rua é nossa". Na frente do protesto é mostrada uma faixa onde se lê: "O Povo é quem mais ordena".

Lisboa - 16.40

Grita-se na Avenida da Liberdade "somos muitos mil para continuar abril". O desfile segue em direção ao Terreiro do Paço.

Coimbra - 16.35

Organização do protesto em Coimbra estima que estejam 17 mil pessoas na manifestação. Entre as palavras de ordem ganha destaque o grito: "1, 2, 3 abril outra vez".

Setúbal - 16.30

Desfile está na Avenida Luisa Todi e neste momento conta com cerca de 2000 manifestantes. Há muitos cartazes e palavras de ordem contra o Governo. Ganha destaque uma sequência de seis cartazes com a letra da canção "Grândola, Vila Morena".

Aveiro - 16.25

O desfile em Aveiro começou na Avenida Lourenço Pcheco com cerca de mil pessoas. No entanto, há muita gente nos passeios a assistir.

Vila Real - 16.20

Cerca de 300 pessoas estão reunidas junto à Câmara Municipal de Vila Real a preparar-se para a manifestação.

Évora - 16.20

A cada minuto que passa aumenta o número de pessoas concentradas na Praça do Giraldo. Começam a ser distribuídas bandeiras e cartazes com palavras de ordem onde se apela à demissão do Governo.

Coimbra - 16.10

Começou a manifestação em Coimbra. Milhares de pessoas corresponderam ao apelo, tendo levado bandeiras de Portugal e cravos para o desfile.

Funchal (Madeira) - 16.00

No Largo do Município já se podem ler cartazes e faixas contra a troika e a exigir a demissão do Governo. Manifestação ainda não começou, estando no local cerca de 200 pessoas que cantam "Grândola, Vila Morena".

Ponta Delgada (Açores) - 16.10

A cerca de uma hora do início da manifestação em Ponta Delgada estão algumas dezenas de pessoas no Largo 2 de março. A organização pediu às pessoas que já estão no local para enviarem sms aos amigos de forma a "chamá-los" para o protesto.

Évora - 16.05

Algumas dezenas de pessoas já concentradas na praça do Geraldo

Porto - 16.00

Na Praça da Batalha estão cerca de 15 mil pessoas, sendo que continuam a chegar manifestantes. Antes do início do desfile estão a ser feitos vários discursos por elementos das entidades envolvidas na preparação do evento, como os "precários inflexiveis".

Lisboa - 15.55

O desfile da manifestação sob o lema "Que se lixe a Troika, o povo é quem mais ordena", que começou no Marquês de Pombal já se início. Há milhares de pessoas na Avenida da Liberdade.

A esta manifestação já se juntou o desfile que tinha começado junto ao Ministério da Educação e Ciência, num protesto conjunto em defesa do investimento na escola pública.

Entretanto, a chegada das pessoas que utilizam o metropolitnao de Lisboa ao Marquês de Pombal está a ser problemática devido à afluência fora do habitual para um fim de semana, a que se acresce o facto de a empresa não ter aumentado a frequência dos comboios

Coimbra - 15.40

Mais de três mil pessoas estão concentradas na Praça da República para participar na manifestação. Uma centena de reformados, liderados por dirigentes da recém-criada associação APRe! (Associação de Aposentados, Pensionista e Reformados), foi bastante aplaudida quando chegou ao local. As canções "Grândola, Vila Morena" e "Os Vampiros", ambas de José Afonso, são as mais ouvidas.

Viana do Castelo - 15.35

Centenas de pessoas já estão concentradas na Praça da República de Viana do Castelo, na terceira manifestação anti troika desde setembro de 2012. As restantes terminaram com os manifestantes a desfilar pelas ruas da cidade, cortando o trânsito.

Funchal - 15.30

A 30 minutos da hora marcada para o início da manifestação no Funchal (Madeira) o Largo do Município ainda estava vazio

Horta

Na manhã deste sábado mais de 150 pessoas manifestaram-se nas ruas da cidade da Horta, respondendo ao apelo do protesto nacional "Que se lixe s 'troika'", disse à Lusa fonte da organização. Segundo Tiago Redondo, foi uma das maiores manifestações ocorridas na Horta, na ilha do Faial, nos Açores, nos últimos anos.

Ler mais

Exclusivos