Tripulantes de navio encalhado no Tejo retirados de helicóptero

A caminho de Lisboa, vindo de Gibraltar, está um rebocador de grandes dimensões de uma empresa contratada pelo armador do cargueiro "Betanzos"

Os tripulantes do navio que encalhou na terça-feira junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, vão ser hoje à tarde retirados da embarcação por um helicóptero da Força Aérea, até que as condições meteorológicas melhorem, disse à Lusa o porta-voz da Marinha.

Segundo Pedro Coelho Dias, a operação decorre a partir das 15:00, na sequência de uma decisão do comandante do Porto de Lisboa, por "questões de segurança".

Hoje de manhã, a Autoridade Marítima Nacional informou estar a caminho de Lisboa, vindo de Gibraltar, um rebocador de grandes dimensões de uma empresa contratada pelo armador do cargueiro "Betanzos", de bandeira espanhola, com 118 metros.

A embarcação encalhou com 10 tripulantes cerca das 01:00 de terça-feira, à saída da barra de Lisboa, após uma falha total de energia e da tentativa de fundear.

Foram já feitas pelo menos três tentativas para desencalhar o navio.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.