Três detidos e 1400 quilos de droga apreendidos em embarcação a sul do Faial

Barco de recreio, que transportava cocaína, tinha como destino o continente europeu, informou a Polícia Judiciária

Três pessoas foram detidas e 1.400 quilos de cocaína foram apreendidos numa embarcação de recreio a sul da ilha do Faial, grupo Central dos Açores, que tinha como destino o continente europeu, anunciou esta terça-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ adianta que em colaboração com a Marinha e a Força Aérea, desencadeou nos últimos dias uma operação de combate ao tráfico ilícito de estupefacientes por via marítima (Operação Mar Azul) da qual resultou a interceção, em pleno Oceano Atlântico, a sul da Ilha do Faial, de uma embarcação de recreio que estava a ser utilizada no transporte de cocaína.

"A bordo da embarcação seguiam três homens de nacionalidade estrangeira que foram detidos e que de acordo com os elementos probatórios até agora coligidos pela investigação integram uma organização criminosa de dimensão transnacional implantada em diferentes países do continente europeu e da América Latina", explica a PJ.

A polícia criminal adianta que a droga apreendida estava a ser transportada das Caraíbas para o continente europeu para ser distribuída por diferentes países.

De acordo com a PJ, a droga, com um peso total aproximado de 1.400 quilos, "vinha acondicionada em compartimentos criados para o efeito na estrutura da embarcação sob os depósitos de combustível, que apenas foram localizados depois de minucioso e intenso trabalho das equipas da Polícia Judiciária que foram apoiadas por elementos da Polícia Marítima e da GNR".

Os detidos, com idades entre os 38 e os 51 anos de idade, foram presentes a primeiro interrogatório judicial tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

A operação resulta de uma investigação iniciada recentemente pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Polícia Judiciária na sequência de profícua troca de informações com a National Crime Agency do Reino Unido no quadro do Maritime Analysis and Operations Centre - Narcotics (MAOC-N), organismo internacional com sede em Lisboa.

A investigação prossegue a cargo da PJ em cooperação com as autoridades de outros países, designadamente do Reino Unido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.