Falso alarme na Avenida dos Aliados. Era apenas esferovite 

O trânsito na Avenida dos Aliados, Porto, foi reaberto pelas 16:38 depois de a PSP ter verificado que a "caixa suspeita" encontrada numa cabina telefónica próxima da entrada do metro continha apenas esferovite.

"Era falso alarme", disse à Lusa fonte da PSP, segundo a qual a "caixa suspeita", que obrigou ao corte de trânsito e à chamada da Brigada de Minas, continha esferovite.

Pelas 16:00 o trânsito na Avenida dos Aliado encontrava-se no sentido descendente depois de ter sido encontrada uma "caixa suspeita" numa cabina telefónica localizada em frente às instalações da Agência Abreu e próximo de uma entrada de metro.

"Há um corte de trânsito no sentido descendente da Avenida dos Aliados para haver um perímetro de segurança e garantir os trabalhos da Brigada de Minas e Armadilhas", disse à Lusa fonte do Comando da PSP/Porto.

O alerta para a situação foi dado pelas 13:30 de hoje.

[Notícia atualizada]

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.