Montenegro: "só falta António Costa" dizer que culpa é do PSD

O ex-líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, ironizou hoje que só falta o primeiro-ministro culpar o PSD e o seu líder pelo assalto a Tancos, dizendo que o Governo "atingiu o cúmulo do desnorte".

Num almoço autárquico de apoio ao candidato do PSD (também apoiado pelo MPT) Fernando Costa, Luís Montenegro referiu-se ao relatório noticiado no sábado pelo Expresso sobre o furto de material de guerra em Tancos, mas que o primeiro-ministro, António Costa, disse não ter sido produzido por qualquer serviço de informação do Estado.

"Para quem já disse que isto era importante, depois que não era importante, depois que talvez fosse assalto mas talvez não fosse assalto, depois vir dizer que o relatório não é autêntico mas não vir negar a sua existência, de facto só falta António Costa dizer que a responsabilidade do assalto em Tancos é do PSD e do dr. Pedro Passos Coelho", criticou.

"É o cúmulo do desnorte, de quem sente que o terreno está a fugir", acusou.

Luís Montenegro disse não saber se o relatório noticiado pelo Expresso "foi ou não validado por um membro do Governo, mas que ele existe, existe".

"Vir-nos acusar a nós de falta de sentido de responsabilidade? Só preciso de um minuto para descrever o sentido de responsabilidade e de Estado do primeiro-ministro", criticou, apontando em seguida o que descreveu como contradições do Governo sobre esta matéria.

Montenegro lembrou que, num primeiro momento, o assalto em Tancos foi considerado "uma situação gravíssima", tendo até havido exoneração de responsáveis militares.

"Passados uns dias, o armamento pesado já era sucata e os que o foram roubar até fizeram um favor ao Estado", ironizou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".